1-ago

Associados aprovam orçamento e mudanças no estatuto do Sincor-SP

Com 81 votos a favor, a Previsão Orçamentária 2020 foi aprovada pelos corretores de seguros associados durante Assembleia Geral Ordinária, realizada na sede do Sincor-SP, no dia 29 de novembro. Os profissionais também validaram mudanças no Estatuto Social, propostas na Assembleia Geral Extraordinária, promovida na sequência.

Na ocasião, o presidente do Sincor-SP, Alexandre Camillo destacou a resiliência da entidade, mesmo diante dos desafios. “Realizamos grandes eventos de qualificação, capacitação e proximidade com o corretor de seguros, além de adequar o Sincor-SP às perdas de receita”.

Já a Assembleia Geral Extraordinária deliberou sobre a revisão do Estatuto Social do Sincor-SP, com inclusão da alínea i, no artigo 2º com o seguinte texto:

“Agir, defender e atuar nos interesses individuais e coletivos dos direitos dos consumidores de seguros, de resseguros, de capitalização e de previdência complementar aberta; autoridades públicas e privadas; assim perante aos Procons Estaduais, Ministérios Públicos Estaduais e Federal, enfim, nos órgãos, comissões e colegiados dos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, considerando a angariação, a orientação e assistência técnica, a consultora e a interveniência institucional e legal da categoria, ora representada pelo Sindicato, podendo, ainda, implementar, em todos os aspectos finalísticos, inciativas próprias e em parceria com outras entidades, assim como, visando a tutela dos interesses difusos e coletivos dos referidos consumidores, promover ações civis públicas e/ou outras ações permitidas pela legislação vigente, inclusive administrativas ou ainda, quando for o caso, provocar os entes legitimados, que possuam capacidade postulatória para interposição das ações devidas, objetivando o alcance dos fins aqui colimados”.

Outra alteração aprovada no Estatuto foi a mudança do artigo 34, que passa a ficar da seguinte forma:

Constituem rendas do Sindicato:

a) Contribuição Assistencial, a que se refere o artigo 513 “e” da CLT;

§ 1º A fixação de valores e forma de cobrança da Contribuição Assistencial a que se refere este artigo deverão ser apreciados em Assembleia Geral Extraordinária.

§2º A receita advinda da Contribuição Assistencial terá a seguinte partilha e destinação:
a) 10% (dez por cento) à CNC;
b) 20% (vinte por cento) para a Federação;
c) 70% (setenta por cento) para o Sindicato”.

A mesa da AGO foi presidida por Braz Romildo Fernandes, e teve como secretário Nilson Arello Barbosa. Já a mesa da AGE teve como presidente Boris Ber e como secretário Edson Fecher.

Publicidade